2005/10/19

Alex

A MINHA ESTANTE

A mui querida e adorável Jacky pediu-me para fotografar e falar sobre as minhas cuecas, perdão, a minha estante e as minhas leituras, razão pela qual vos venho falar sobre algo tão íntimo.
A minha estante talvez seja uma decepção para a maioria de vós, mas trabalhando numa grande biblioteca, para quê possuir em casa livros que já existem onde trabalho? Além de ser melhor economicamente, também beneficio em termos de espaço.
Note-se contudo, que possuo em Coimbra uns milhares de livros armazenados à espera de melhores dias...
Quanto às minhas leituras, sou um bibliofago! Confesso! Não é certamente por acaso que este ano já vou em 229 livros lidos. Destes, uma maioria é de poesia, pelo que são livros pequenos, lidos na Ginástica. É uma forma de complementar a minha formação, ler livros de autores que desconheço. É uma vergonha não conhecer alguns escritores, tendo em conta a minha profissão. Alguns, contudo, leio por motivos de cartas ou artigos em que esteja a trabalhar.

Quanto a fotos da minha estante, como não possuo uma máquina digital não as posso tirar, mas convido desde já a Jacky a vir pessoalmente a minha casa tirar-lhe uma foto, bem como às minhas cuecas, sobre as quais havia muito para dizer (mas infelizmente tenho de ser breve), recebendo uma massagem como brinde, da qual de certeza não haveria de se queixar (nunca recebi queixas). Espero ter-lhes saciado a curiosidade num aspecto... e espicaçado noutro.

Eis uma amostra das últimas leituras:

205. CASTILHA DEL PINO - 4 ensaios sobre a mulher. Braga, Espaço, 1971. Livro que me foi oferecido pela Drª HBC.

206. MALLARMÉ, Stéphane - Poemas Lidos por Fernando Pessoa. Lx, Assírio & Alvim, 1998. R2-12-7(42)

207. ALMEIDA, Fialho de - A Taça do Rei de Tule. Sintra, Colares Editora, 2001. 8b2590. Lido na Ginástica(?). Mas em boa moral os vícios não se distinguem muito das virtudes. Por exemplo, no amor, onde acaba a virtude e começa o vício? (Conto do Almocreve e do Diabo, p. 56)

208. BRETON, André - Poemas. Lx, Assírio & Alvim, 1994. R2-12-7(20). Lido na Gin.

209. KELLERMAN, Paulo - Miniaturas. Lisboa, Colibri; Portimão, Câmara Municipal, 2001. 8b2331. Conjunto de pequenos contos, de meia página, por vezes muito engraçados. Gostei especialmente de:
Castigo, p. 15: um menino achou que por atirar pedras à Lua esta ficou com "os aleatórios montes de pequenas rochas", como disse na TV).
Joelho, p. 16-17: Uma vez, apaixonei-me por um joelho. (...) Hoje, passados tantos anos, apenas recordo o joelho. E pergunto: apaixonamo-nos por seres humanos ou por partes de seres humanos?
Casal, p. 23: Havia um menino tímido que se apaixonou por uma colega de escola. (...) Sessenta anos passaram. O menino entra num lar de idosos. (...) Uma vez mais, não consegue falar-lhe. Mas não se aborrece, pelo contrário, sente-se feliz. Pois sabe que morrerão debaixo do mesmo tecto, juntos, como um velho casal.
Infecção, p. 34: Sempre fui uma disquete sexualmente activa. (...)

222. CRUZ, Guilherme Braga da - A Obra de S. Martinho de Dume e a Legislação visigótica. Braga, Livraria Cruz, 1952. Sep. Scientia Iuridica, 1(4)1952

223. CHAVES, Luís - São Martinho de Dume a Sociedade Suévica. Braga, s.n., 1962. Sep. Bracara Augusta, 11/12.

224. OLIVEIRA, Miguel de - São Martinho de Dume e a Conversão dos Suevos. S.l., s.n., 1960. Sep. Bracara Augusta, 9/10

225. SOUSA, Manuel Pinto Ferreira de - A Filosofia Moral de S. Martinho de Dume, em antologias Senequistas. Braga, Fac. Filosfia, 1980. Sep. de: Revista Portuguesa de Filosofia, t. 36

226. TAVARES, Severiano - O Senequismo de S. Martinho de Dume. S.l., s.n., 1950. Sep. de Idem, t. 6

227. SOARES, Amadeu (coord.) - Atlas de Fauna e Flora da Serra da Cabreira. S.l., Centro de Interpretação e Animação da Serra da Cabreira, 2000. 5A128. Lido para fazer acrescentos à Crónica de Viagem à Serra

228. CENTRO DE INTERPRETAÇÃO E ANIMAÇÃO DA SERRA DA CABREIRA - Guide of Serra da Cabreira: hiking trails. S.l., CIASC, 2002. 7A1053. Idem.

229. MACIEL, Tarcísio; MACIEL, M. Justino - Estradas romanas no território de Vinhais. Vinhas, C.M.V., 2004. Lido a 11/10 para escrever uma carta para um jornal sobre pontes romanas e pontes medievais.
:) Alex, depois combinamos! ;)

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home